Início DESTAQUES Cerca de 100 animais morrem em Cláudio (MG) após serem esfaqueados, envenenados...

Cerca de 100 animais morrem em Cláudio (MG) após serem esfaqueados, envenenados e atropelados

292
0

Cachorros estão sendo atacados em Cláudio (MG) – esfaqueados, envenenados e atropelados. Poucos sobreviveram. Na última semana, cinco animais foram atropelados e agora lutam para recuperar as patas quebradas.

Foto: TV Integração

A grande maioria dos ataques está ocorrendo na região Central, de madrugada. O local fica cheio com os animais de rua a noite.

A população da cidade está assustada com a crueldade dos ataques. São tantos casos que uma ONG da cidade em defesa dos direitos animais, que está cuidando das vítimas, está encontrando dificuldades para oficializar as agressões no município.

Marcus Vinícius Lamas Moreira, promotor da cidade, afirmou que está trabalhando com a Polícia Civil para apurar as mortes e identificar os culpados.

Voluntárias da Sociedade Protetora dos Animais registraram venenos que foram espalhados na cidade, em pedaços de carne para atrair as vítimas. Os ataques, segundo elas, não têm como objetivo matar só os cachorros: muitos gatos também foram mortos nos últimos 20 dias, quando as tentativas de assassinato se tornaram mais frequentes. Até mesmo um cavalo foi esfaqueado. Aproximadamente 100 animais morreram.

Há, também, casos de espancamento. Uma cachorrinha, que estava grávida na época, sofreu traumatismo craniano devido à uma pancada que levou durante a gestação. Felizmente, conseguiu criar nove filhotes perfeitamente saudáveis e se recuperou do ataque. Outros animais não conseguiram resistir.

A gerente de saúde Bruna Cecília, em entrevista ao G1, disse acreditar que os atropelamentos são propositais. Segundo ela, alguns morrem e outros permanecem sofrendo, mesmo que eles tentem fazer algo para ajudar.

“Estou no trabalho há 20 anos e nunca vi isso. É uma crueldade muito grande. Não tem sinal de briga entre animais, foi alguém que supostamente realizou este atentado contra os animais”, declarou Magno Gonçalves, coordenador da Vigilância em Saúde. Ele acha que os ataques estão sendo feitos por mais de uma pessoa, citando um caso onde animais apareceram com diversos cortes. “Eu acho que uma pessoa teria que segurar o animal para outra fazer esse tipo de crueldade”.

“Os animais têm direito de ficar na rua sim e receberem um bom tratamento. Se você não gosta de animais, pelo menos respeite. É isso que a gente está pedindo para a comunidade”, disse a voluntária Jaqueline Mitre.

A ONG que está cuidando dos animais em Cláudio foi notificada a parar de tratá-los na rua. A Prefeitura da cidade prometeu liberar um espaço para que a associação tenha sua própria sede para cuidar dos animais. “Na rua não é ambiente para esses animais, eles não têm alimento adequado, não têm água adequada, passam frio e fome, comem lixo e são atacados, como aconteceu”, declarou Magno.

Fonte: anda.jor.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui