Início NOTÍCIAS Estudo conclui que 71% dos tutores não teriam suportado pandemia sem animais

Estudo conclui que 71% dos tutores não teriam suportado pandemia sem animais

23
0

Mariana Dandara | Redação ANDA

(Foto: Freepik/Ilustrativa)

Um estudo concluiu que 71% dos tutores de animais norte-americanos não teriam suportado a pandemia de coronavírus, isolados dentro de suas casas, não fosse a companhia amorosa dos animais.

A pesquisa foi realizada pela Kinship, divisão da Mars Petcare dedicada à coleta de dados sobre tendências comportamentais na indústria de produtos para animais. Para realizar a pesquisa, a empresa entrevistou mais de mil pessoas maiores de 18 anos.

Os pesquisadores descobriram ainda que mais de 60% dos tutores colocam o bem-estar do animal como prioridade e que 93% deles consideram importante o apoio emocional concedido pelo cão ou gato.

Dentre os entrevistados, 86% afirmaram que passar mais tempo em casa com os animais têm sido um dos principais benefícios do isolamento social. Além disso, 60% manifestaram o desejo de levar seus cães nas próximas férias.

A felicidade dos animais é prioridade para 62% dos tutores. O estudo também mostrou que 76% dessas pessoas buscam informações sobre saúde preventiva para manter os animais saudáveis.

Realidade brasileira

Embora o estudo tenha sido realizado nos Estados Unidos, a realidade dos norte-americanos é bastante semelhante a dos brasileiros, que cada vez mais abrem espaço em seus lares para que cachorros e gatos sejam tratados como membros da família.

Muitas dessas pessoas, inclusive, após se conscientizarem sobre os horrores do comércio de animais e tomarem conhecimento sobre o número de animais abandonados ou abrigados em ONGs pelo país, optaram por adotar cachorros ou gatos (até os dois!) resgatados de situações de vulnerabilidade para dar a eles a oportunidade única de desfrutar de uma vida repleta do amor que esses animais, até então, não haviam conhecido.

As pessoas que adotam, aliás, costumam ser unânimes ao falar sobre a gratidão que os animais resgatados de maus-tratos e do abandono sentem por suas novas famílias. E é na convivência do dia a dia que os adotantes percebem não só o quão gratos os animais são, mas também o quanto eles são capazes de ser as melhores companhias que alguém pode ter. E essa foi a sorte de quem, em meio ao caos da pandemia, tinha ao seu lado um companheiro de quatro patas.

Fonte: anda.jor.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui