Início NOTÍCIAS Gato é resgatado após ser encontrado com flecha atravessada nas costas em...

Gato é resgatado após ser encontrado com flecha atravessada nas costas em Palmas, TO

267
0

Clicar sobre a imagem para editar ou atualizar.

Remover imagem destacada

Um gato ficou gravemente ferido após ser atacado com uma flecha em Palmas. Uma foto divulgada por uma voluntária que fez o resgate mostra o animal com a flecha atravessada nas costas. O bicho recebe cuidados veterinários, e ao final do tratamento poderá ser adotado. Mesmo antes de ganhar um lar, o felino ganhou nome: Heitor. (Veja o vídeo abaixo)

Heitor foi ferido na última quarta-feira (7) no Lago Norte. A voluntária Lilian Castilho foi quem encontrou o animal e o socorreu. “Quando a gente chegou ele estava acuado em um cantinho, com a flecha ainda enfiada, e um senhor vizinho se ofereceu para cortar e tirar. A gente, a princípio, achou que ele estaria amedrontado do ser humano, mas não, ele precisava de socorro”.

Depois do resgate, o animal foi levado para uma clínica veterinária, onde se recupera das lesões e dos traumas. “A gente está tentando levantar a imunidade dele, matando os parasitas intestinais, dando suporte nutricional bom, bem calórico para ele, e tratando a desidratação”, explicou a veterinária Ana Paula Lima.

A cuidadora Lilian explica que o novo nome do gato tem relação com o que o animal já passou. “Ele é um guerreiro. Sobreviver nas ruas não é fácil. Por esse motivo nós colocamos o nome do guerreiro de Tróia, que é Heitor”, explicou.

Ao final do tratamento, que deve durar cerca de 30 dias, o animal vai sair da clínica direto para a adoção. “É um guerreiro, sem dúvidas e logo logo vai estar pronto para viver uma vida normal”, disse Lilian.

Outros casos

Heitor não é a única vítima de maus-tratos em Palmas. Nos últimos dias, pelo menos 10 felinos foram encontrados envenenados em uma quadra da capital. Na quadra 1005 Sul, gatos e cachorros foram encontrados mortos dentro das casas e nas ruas.

Evando Miranda, presidente da associação dos moradores, conta que não é a primeira vez que a onda do crime acontece. “É em média de 10 animais já foram mortos por envenenamento. E isso é uma situação muito chata. Muito ruim para os moradores que querem criar seus animais”, disse.

A advogada, Renata Elisa de Sousa, que atua na comissão dos direitos e proteção aos animais, explica que maltratar animais é crime e que vários comportamentos caracterizam o delito. “Privação de liberdade, privação de água fresca, de comida, além dos espancamentos que a gente sabe que são comuns na capital. Engloba muito mais do que envenenar um animal de rua”, explicou.

Nesses casos, a pena varia de três meses a um ano de prisão, além de multa.

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui