Início DESTAQUES A ‘matadora de cães’ de Puebla: os enjaulava e congelava para usar...

A ‘matadora de cães’ de Puebla: os enjaulava e congelava para usar sua carne em tacos

291
0

Horror em Puebla, México. Uma mulher, identificada como María Antonieta Paredes, foi detida depois de terem encontrado em sua casa cães e gatos congelados e dezenas de animais enjaulados.

De acordo com o jornal El Sol de Puebla, a acusada de maus-tratos a animal residia no apartamento número 4 do edifício na colônia Bosques de San Sebastián.

Os vizinhos afirmam que, após matar os cães, os guardava no freezer para depois comercializar sua carne ou usá-la na preparação de tacos, o prato emblema do México.

Por essa ação monstruosa, María Antonieta Paredes foi chamada de a “matadora de cães” de Puebla.

A Secretaria do Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Ordenação Territorial do estado mexicano confirmou o resgate de 30 animais vivos, principalmente cães e gatos, além de duas crianças com sinais de desnutrição.

Depois da operação, realizada no último dia 19 à noite, os animais ficaram sob responsabilidade da Proteção Animal da prefeitura de Puebla.

A polícia municipal evitou um possível linchamento por parte dos vizinhos. De acordo com o site Aristegui Noticias de México, María Antonieta Paredes tentou fugir, mas os moradores impediram a fuga.

Além disso, disseram que a mulher sempre se comportava de maneira violenta, e detalharam que, se alguém reclamasse dos cães, ela os ameaçava com uma faca.

Nas redes sociais publicaram que a mulher prendia os animais para depois matá-los e vender sua carne, além do fato de que um de seus filhos, de nove anos, a ajudava a roubar os cães e gatos, que disse fazer isso para exigir recompensa.

Por sua vez, a organização EcoPuebla convocou uma manifestação e marcha em frente às promotorias para exigir justiça por maus-tratos a animais.

Como descobriram a “matadora de cães” de Puebla?

De acordo com o jornal Infobae, um dos vizinhos, identificado como Jorge Luis, perdeu seu cão poodle francês no dia 13 de setembro.

Ele começou uma campanha de busca, mas acabou recebendo uma ligação de uma pessoa que disse que seu cão estava no apartamento 4 do edifício 52, localizado na rua 1B.

Ali vivia María Antonieta Paredes e seus dois filhos, um deles deficiente.

No começo, ela garantia que não estava com o cão, mas quando o dono o chamou, o cachorro latiu e conseguiu escapar. O homem pediu ajuda a seus vizinhos, que reagiram de imediato.

De acordo com as declarações das pessoas, quando María Antonieta Paredes viu a multidão, tentou fugir de sua casa.

Foi nesse momento que entraram no apartamento e se depararam com a descoberta macabra.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: La República (Imagem: Twitter)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui