Início DESTAQUES Cães explorados em rinha são recebidos no Instituto Luisa Mell

Cães explorados em rinha são recebidos no Instituto Luisa Mell

240
0

Nenhum cão nasce agressivo. Nenhum cão gosta de brigar. Mas desde filhotes, alguns são submetidos a violência extrema, a surras, ao estresse, a fome e sede. Estimulados a atacar outros cães em disputas por comida, privados de sono, de espaço e de qualquer forma de amor. Antes das lutas, ficam dois ou três dias confinados em caixas. Várias vezes ao dia, apanham sem ver de onde veio a dor. Então, ainda dentro da caixa, são colocados de frente para outro cão, também confinado. Novamente, apanham e na hora que as caixas são abertas, seus comportamentos mais primitivos de defesa os fazem lutar.

Na plateia, covardes criminosos apostam dinheiro nas lutas que acabam se tornando um grande negócio para quem organiza. Os cães “perdedores”, morrem. Quase nunca na hora. Quase sempre, agonizam por horas, sem socorro, sem auxílio, descartados como lixo. Os “vitoriosos” vivem para lutar mais uma vez, até perderem.

Hoje, após 4 meses de investigações, em uma operação conjunta das Polícias de SP e do Paraná, foi desmantelado um esquema internacional desses. Quarenta e uma pessoas foram presas incluindo um médico veterinário que dava drogas e soro para os cães “aguentarem um pouco mais” no ringue.

O @institutoluisamell ficou com os cães em estado mais grave. Todos já estão em nosso hospital sendo tratados e estamos lutando pela vida deles. A ONG @encontreiumamigo e a #pitsales também ajudaram e ficaram com os outros cães!

Parabéns as @policiacivil_sp e @pcproficial , especialmente ao @delegado.matheuslaiola , Dr. Emygdio Machado Neto, Dr. Renato Marcos Porto, equipe do delegado Bruno Lima, Dr. Jan Plzak, Dr. Walter Romero Ferrari, Emerson Sebastião da Rocha – chefe dos Investigadores.

Fonte: facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui