Início DESTAQUES Cachorro cai de caminhonete de órgão de proteção ambiental e é arrastado

Cachorro cai de caminhonete de órgão de proteção ambiental e é arrastado

225
0

Clicar sobre a imagem para editar ou atualizar.

Remover imagem destacada

Reprodução | Instagram

Um cachorro da raça pit bull caiu do compartimento externo de carga de uma caminhonete da Autarquia Municipal do Meio Ambiente e Controle Urbano (AMMA) da cidade de Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza (CE). Amarrado a uma corda atada em seu pescoço, o cão é arrastado preso à carroceria do veículo. Um vídeo mostra o exato momento em que o cão passa por momentos de extrema agonia.

Os homens responsáveis pelo transporte, após a viralização dos maus-tratos, afirmaram que o cachorro foi resgatado após denúncias apontarem que ele apresentava um comportamento agressivo. Eles dizem ainda que o cão foi transportado de forma inadequada porque estava muito agitado. Segundo os homens, o pit bull não sofreu “ferimentos graves”.

A Prefeitura de Eusébio informou em nota que apura o caso, mas que repudia qualquer ato de maus-tratos e crueldade contra animais e que os responsáveis serão punidos. O caso gerou intensa revolta nas redes sociais. “Esses funcionários não têm condição de trabalhar nessa função”, alerta um internauta. O vídeo que mostra os maus-tratos foi postado pelo perfil

No Brasil, crimes contra animais estão previstos na lei 9.605 de 1998. Uma vez acusado, o responsável pode ser punido com multa e até um ano de detenção. No entanto, em uma entrevista à Agência de Notícias de Direitos Animais, o advogado criminalista e consultor da ANDA Sérgio Tarcha explica que existe um novo projeto que torna a pena de crimes de maus-tratos mais rigorosa.

Segundo Tarcha, apesar de trazer avanços, crimes contra animais ainda não são vistos com gravidade pela Justiça. “A pena, hoje, é de 3 meses a 1 ano de detenção, ou seja, é nada. A lei que regula a matéria é a lei de crimes ambientais, 9.605/98, a nova lei, 11.210/18, que já foi aprovada pelo senado eleva para 1 a 4 anos de detenção, mais a multa. Ainda continua muito branda a legislação, em outros países é muito mais severo”, disse.

Fonte: anda.jor.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui