Início NOTÍCIAS Pit bull que vivia acorrentado na chuva é adotado: ‘nos apaixonamos por...

Pit bull que vivia acorrentado na chuva é adotado: ‘nos apaixonamos por ele’

188
0

A nova família de Brad (Foto: Arquivo pessoal)

Brad, assim passou a ser chamado um pit bull que foi adotado após sofrer maus-tratos em Itu, no interior de São Paulo. O cão vivia acorrentado sob o sol e a chuva e não recebia alimentação. Seu antigo tutor foi preso.

A assistente veterinária Patrícia, nova tutora de Brad, já tem outros dois cachorros da raça pit bull. “Vi a foto e nos apaixonamos por ele. Como amamos essa raça, vimos a oportunidade de ter mais um”, disse ao G1.

Brad vai morar na casa da sogra de Patrícia, no bairro Maria Eugênia, em Sorocaba (SP). “Pegar um animal de maus-tratos enche o coração de alegria, é como se eu tivesse dando vida a ele. Ele é um cachorro sapeca, é dócil”, contou.

O antigo tutor do pit bull foi preso em flagrante pelo crime de maus-tratos, mas foi liberado em audiência de custódia. O processo contra ele segue em tramitação na Justiça.

Brad foi resgatado após vídeos mostrarem o animal acorrentado sem proteção contra a chuva e o sol. Acionados através de uma denúncia, policiais estiveram na casa do antigo tutor do cachorro e foram recebidos por seu sogro. O rapaz de 24 anos, que dormia no momento da operação, foi acordado e acompanhou a ação dos policiais.

Levado a uma clínica veterinária, o cachorro recebeu os cuidados necessários. Um laudo técnico concluiu que o pit bull sofria maus-tratos e estava repleto de carrapatos.

Lei Sansão

Recentemente sancionada, uma nova lei de proteção animal aumentou a pena para crimes cometidos contra cachorros e gatos no Brasil. Antes, esses crimes eram punidos com, no máximo, um ano de detenção, pena que era convertida em alternativas como a prestação de serviços à comunidade.

A legislação recebeu o nome de “Lei Sansão” em homenagem ao pit bull Sansão, que foi brutalmente torturado em Minas Gerais, tendo as duas patas traseiras decepadas. Paraplégico, ele não apenas se recuperou e provou o quão forte é capaz de ser, como serviu de incentivo para a aprovação da lei.

Com o aumento da pena, os criminosos que submeterem cachorros e gatos a maus-tratos poderão ser presos por um período de dois a cinco anos. Eles também poderão ser punidos com multa e com a proibição de tutelar outros animais.

A medida, no entanto, não protege os animais de outras espécies, excluindo a fauna silvestre e animais que são explorados pela sociedade, como galos, porcos, bois e galinhas.

Fonte: anda.jor.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui