Início NOTÍCIAS Cachorro sobrevive após ser agredido com 23 facadas no pescoço

Cachorro sobrevive após ser agredido com 23 facadas no pescoço

163
0

Foto: Reprodução

Um cachorro foi vítima de uma tentativa de assassinato em São Sebastião, no litoral do estado de São Paulo. Na última terça-feira (2), Chase foi brutalmente agredido com 23 facadas no pescoço e, apesar da violência, sobreviveu.

A agressora do animal é vizinha da família de Chase. Após ser denunciada à polícia, ela confessou ter esfaqueado o cachorro e justificou dizendo que o agrediu porque ele havia avançado nela e em seu filho de 18 anos duas vezes.

Gravemente ferido, Chase foi socorrido e encaminhado para uma clínica veterinária. No estabelecimento, o cachorro recebeu medicamentos e teve os ferimentos suturados através de pontos cirúrgicos.

Os veterinários que ficaram responsáveis pelo tratamento do cão informaram que, embora ele tenha sobrevivido, seu caso ainda inspira cuidados devido à gravidade.

A mulher que tentou matar Chase será indiciada pelo crime de maus-tratos a animais.

Lei Sansão

Recentemente sancionada, uma nova lei de proteção animal aumentou a pena para crimes cometidos contra cachorros e gatos no Brasil. Antes, esses crimes eram punidos com, no máximo, um ano de detenção, pena que era convertida em alternativas como a prestação de serviços à comunidade.

A legislação recebeu o nome de “Lei Sansão” em homenagem ao pit bull Sansão, que foi brutalmente torturado em Minas Gerais, tendo as duas patas traseiras decepadas. Paraplégico, ele não apenas se recuperou e provou o quão forte é capaz de ser, como serviu de incentivo para a aprovação da lei.

Com o aumento da pena, os criminosos que submeterem cachorros e gatos a maus-tratos poderão ser presos por um período de dois a cinco anos. Eles também poderão ser punidos com multa e com a proibição de tutelar outros animais.

A medida, no entanto, não protege os animais de outras espécies, excluindo a fauna silvestre e animais que são explorados pela sociedade, como galos, porcos, bois e galinhas.

Fonte: anda.jor.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui