Início NOTÍCIAS Cão colocado em caixa após agressão chora de dor por dias até...

Cão colocado em caixa após agressão chora de dor por dias até ser resgatado

162
0

Mariana Dandara | Redação ANDA

Foto: Ricardo Lima/ Correio Popular

Um cachorro que foi brutalmente agredido e colocado em uma caixa passou três dias chorando de dor até ser resgatado em Campinas, no interior do estado de São Paulo. Levado para uma clínica veterinária em Hortolândia, cidade vizinha, Bob corre o risco de ficar paraplégico.

O cão foi encontrado por uma moradora do Jardim Campos Elíseos, que preferiu não ser identificada. Sem condições financeiras para socorrê-lo, ela fez uma publicação nas redes sociais pedindo ajuda.

“Eu não tinha a mínima condição de ajudar, mas como eu iria conseguir dormir com aqueles gritos de dor na minha cabeça? Realmente foi paulada, como haviam relatado. Mas como pode uma pessoa ter coragem de fazer isso? Ele corria atrás de moto porque cachorros são como crianças”, lamentou em entrevista ao jornal Correio Popular.

O apelo da moradora chegou à protetora de animais Eliane de Souza, que decidiu assumir o caso. Na clínica veterinária, Bob foi examinado e submetido a exames que diagnosticaram doença do carrapato, infecção, anemia e coágulos de sangue em sua urina.

E embora um raio-x não tenha detectado problemas na coluna, um outro exame terá que ser feito para analisar de maneira mais detalhada a cervical de Bob, já que ele não consegue ficar em pé e andar. No entanto, para que seja submetido ao exame, o cachorro necessita ser sedado. Antes disso, o quadro de saúde de Bob precisa ser estabilizado para que suporte a sedação.

“Tentei muito alguém que pudesse assumi-lo, mas não consegui. Eu não poderia nem sonhar em assumir esse caso. Mal estou conseguindo cuidar de todos que já peguei, e que não sou poucos”, afirmou Eliane, que já tem uma dívida de R$ 1 mil por conta da internação de Bob na clínica.

Atualmente, a protetora mantém 70 cachorros resgatados de maus-tratos e depende de doações de ração, vermífugos, remédios e outros itens. Interessados em ajudar doando produtos ou quantias em dinheiro devem entrar em contato com Eliane através do Facebook, do Instagram ou do WhatsApp: (19) 9-9307-6024.

“Já não estou aguentando mais física e psicologicamente”, desabafou.

Fonte: anda.jor.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui