Início DESTAQUES Com 60 animais resgatados, mãe e filha mantém Vakinha para evitar corte...

Com 60 animais resgatados, mãe e filha mantém Vakinha para evitar corte elétrico

82
0

Bióloga, Marluce da Costa, de 29 anos, e sua mãe, a técnica em eletrônica, Lucineide Francisco Alexandre, de 47 anos, tiveram sua história de amor aos animais divulgada há cerca de onze dias aqui no MS Notícias, onde literalmente pediam socorro para quitar três contas de energia em atraso na casa onde vivem na Jardim Nhanha, em Campo Grande. Responsáveis por 60 animais resgatados das ruas, infelizmente a meta não foi alcançada.

No próprio portal de financiamento coletivo “Vakinha”, há seis dias elas informaram que, pelo fato de não atingirem a meta no tempo necessário, mas ainda estenderam agradecimento aos que ajudaram até o momento. 

“A partir de agora as doações recebidas só poderão ser retiradas depois do dia 30 que é o último dia da MP que suspende o corte, com o valor arrecadado até o momento conseguiremos pagar as faturas de março e abril, mas ficou faltando 87,18% da fatura de maio. Muito obrigada a todos que nos apoiaram!”, aponta a publicação. 

Mãe e filha, elas atuam como protetoras de animais desde 2009, na casa onde vivem no Jardim Nhanha, em Campo Grande. Pelos cálculos, no momento, são cerca de 60 animais resgatados das ruas que recebem o amor da família e um lar, até estarem aptos para adoção.

 “Além das contas de luz, precisamos de ajuda também com ração para os cães e produtos de limpeza”, diz  Marluce, que no momento está desempregada. 

Toda a história das dívidas e também do amor por animais é possível conferir na matéria completa do dia 10.jun.2021, que possui vídeos e publicações das duas mulheres narrando as dificuldades em preservar o espaço dessa família de protetoras como um centro de acolhimento. Ou acompanhar pelo Instagram: @cachorra.princesa e @ajudem.a.hotdog.e.o.ajax. 

Vale lembrar que a contribuição pode ser feita pelo site da VAKINHA ou pelo pix (basta enviar qualquer valor no lucineidef6@gmail.com).

Por Leo Ribeiro

Fonte e foto: MS Notícias

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui