Início DESTAQUES Funcionário de supermercado é indiciado por atacar cachorro com arma indígena em...

Funcionário de supermercado é indiciado por atacar cachorro com arma indígena em MT

79
0

 Foto: Divulgação

Um funcionário de um supermercado em Tapurah (MT) foi indiciado por maus-tratos após atacar um cachorro com uma zarabatana – arma usada por indígenas – para que o animal saísse da frente do estabelecimento. O caso foi registrado no dia 13 de março e a informação divulgada na terça-feira (3).

A zarabatana é usada por indígenas para lançar dardos ou flechas e caçar pequenos animais. O objeto também é comercializado para servir como item de decoração.

De acordo com o delegado Eugênio Rudy Junior, a Polícia Civil ouviu testemunhas e também pegou imagens de câmeras de monitoramento do local. Ele foi interrogado e confessou o crime.

Segundo o delegado, ele não é tutor do cachorro. O suspeito atacou o animal assoprando um dardo em direção ao cão.

As imagens das câmeras de segurança, que o G1 teve acesso, mostram o momento em que o funcionário chega de carro e estaciona na frente do supermercado. O cachorro está sentado perto da porta e observa o funcionário se aproximando.

É possível ver que o funcionário já desceu do veículo com a zarabatana na mão e aponta em direção ao cachorro. O animal se afasta antes mesmo de ser atingido e sai depois de ser atacado pelo funcionário.

O rapaz não queria que o cachorro ficasse na frente da porta do estabelecimento, de acordo com o delegado. 

“Ele atacou o pobre animal para que ele deixasse a frente do comércio onde o agressor trabalha”, disse ao G1. 

Com o avançar das investigações, o fato foi comprovado e o agressor identificado.

O cachorro não foi localizado, mas a polícia recebeu informações de moradores de que ele foi visto circulando pela cidade novamente e está bem.

Conforme a Polícia Civil, o funcionário irá responder pelo crime de maus-tratos qualificado a animais por se tratar de cachorro, cuja pena máxima atualmente é de cinco anos de prisão.

Os investigadores tentam localizar o cachorro na cidade para que ele passe por uma avaliação médica veterinária.

O delegado fez um alerta para população sobre a gravidade do crime de maus-tratos a animais: antigamente era apurado mediante simples termo circunstanciado de ocorrência, contudo, com as alterações legislativas, passou a ser punido com pena de reclusão, inclusive não sendo possível o pagamento de fiança na delegacia.

Fonte: G1

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui