Início NOTÍCIAS Jovem vegana é escolhida como embaixadora de tratado global contra às mudanças...

Jovem vegana é escolhida como embaixadora de tratado global contra às mudanças climáticas

18
0

Elys Marina | Redação ANDA

Divulgação | Based Treaty

Com 12 anos de idade, a vegana Brunna Sachs, do Rio de Janeiro (RJ), foi escolhida como embaixadora do Plant Based Treaty, um tratado lançado no final de agosto do qual a ANDA é signatária e que tem como objetivo a adoção de uma dieta à base de vegetais no combate às mudanças climáticas, considerando o impacto da pecuária.

“Sou vegana desde os quatro anos de idade, por vontade própria, e sei a importância e os efeitos que nossas dietas têm em nosso ecossistema”, diz Brunna, que está na 7ª série do ensino fundamental e também atua como ativista em defesa dos animais.

“O planeta está enfrentando uma devastação irreversível e cabe a todos nós fazer a diferença e garantir que as próximas gerações realmente tenham um futuro”, afirma.

Mais do que embaixadora do tratado que tende a fortalecer o Acordo de Paris, Brunna é a primeira organizadora brasileira do Youth Climate Save, a organização jovem do Save Movement, que também tem como prioridade alertar sobre a relação entre a pecuária e as mudanças climáticas.

“Também sou colunista de um blog com foco no meio ambiente e de um programa de rádio para jovens, onde falo sobre meio ambiente e veganismo.”

A jovem faz um pedido para que as pessoas acessem o site Plant Based Treaty para baixar uma cópia do tratado que descreve os objetivos e apoiá-lo. Segundo o PBT, a iniciativa pretende colocar os sistemas alimentares na vanguarda do combate à crise climática.

O músico vegano Mobyé um dos apoiadores do tratado, assim como Dale Vince, da Ecotricity, do Reino Unido, a marca Lushe o revisor especialista do Painel Intergovernamental Sobre Mudanças Climáticas (IPCC), Peter Carter, do Climate Emergency Institute.

“Você também se juntará à ProVeg International, Social Compassion in Legislation e quatro membros do Parlamento Europeu (MEPs) – Anja Hazekamp, Tilly Metz, EVI Eleonora e Sylwia Spurek”, informa o tratado.

“Estamos enfrentando uma catástrofe climática e de acordo com o 6º relatório de avaliação do IPCC da ONU (2021), temos menos de cinco anos para mudar as coisas, caso contrário, estaremos diante de um cenário apocalíptico”, relatou.

Sobre o conteúdo, o Plant Based Treaty recomenda o mais recente documentário de David Attenborough, Breaking Boundaries, disponível na Netflix, que explora nove fronteiras planetárias e o papel que a pecuária tem em transgredir mais essas fronteiras do que qualquer outra indústria.

“Estamos pedindo aos cientistas, indivíduos, grupos, empresas e cidades que endossem este chamado urgente e pressionem os governos nacionais a negociar um tratado internacional”, finalizou Brunna Sachs.

Fonte: anda.jor.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui